fbpx

Destaques

Estudo da Black Friday 2021 - Principais tendências

Cleiton Sanches
Cleiton Sanches
Especialista em Marketing Digital
Data de criação
24/11/2021
Comentários
0 comentários

A Black Friday é uma das mais importantes datas para os varejistas físicos e online. E a edição de 2021 chega com o frenesi de ser a maior BF da história. 

Em 2020, todos vimos um aumento gigantesco no E-commerce. A crise sanitária da Covid-19 e o fechamento do comércio físico em diversas regiões do país fez com que as atenções voltadas ao comércio eletrônico fossem ainda maiores. 

Grande parte do público voltou-se para o E-commerce, aproveitando as promoções que rolaram na Black Friday anterior, sem a necessidade de sair de casa. 

Agora em 2021, esperamos um comércio eletrônico mais maduro. Com as lições que foram aprendidas no último ano fazem com que as lojas online tenham mais atenção com o cliente e garantam uma experiência de compra otimizada.

Para conhecer melhor o que o cliente também procura, criamos um conteúdo especial com dados sobre as intenções de compra do consumidor para a Black Friday 2021. Os dados foram levantados pela Conversion e foram entrevistadas 400 pessoas ao todo.

Expectativas de compra

Segundo a pesquisa que foi base para o estudo apresentado, cerca de 76,5% dos entrevistados afirmaram que fizeram alguma compra na Black Friday de 2020.

Entretanto, quando falamos em intenção de compra para a edição deste ano, o número de pessoas que pretendem fazer alguma aquisição já sobe para 87,75%.

O aumento desse número é o reflexo da maior confiança dos consumidores em relação ao comércio eletrônico. 

Se antes comprar online era sinônimo de incerteza para muitas pessoas, atualmente, o E-commerce é um dos principais canais de vendas para milhões de consumidores e dos mais fortes setores da economia brasileira.

Orçamento para a Black Friday

A faixa de gastos para a BF é alta e também, muitos consumidores pretendem antecipar as suas compras de Natal já na última sexta-feira de novembro.

Cerca de 55% dos entrevistados do estudo sobre a Black Friday afirmaram que pretendem gastar entre R$ 500,01 a R$ 3.000,00 nas suas compras. 

Os maiores presenteados serão os familiares próximos, com as maiores intenções de presentes, indo para o cônjuge (esposa ou esposo) e os filhos.

Categorias mais procuradas

Como já é esperado, os smartphones lideram as intenções de compra para a Black Friday 2021, com 66,67%.

Já na edição passada, a categoria de eletrônicos disparava na frente das intenções, devido ao isolamento social. As pessoas investiram mais no conforto do lar e gastaram mais com produtos desta categoria.

No entanto, um grande ponto que chama a atenção é que mesmo o setor de Turismo e Viagens ter passado por uma retomada (foi a categoria de maior crescimento no comércio eletrônico em Julho de 2021), apenas 12,82% dos consumidores pretendem usar a Black Friday para comprar algum pacote de viagens.

Motivadores de compra

Os descontos são os maiores motivadores de compra durante a Black Friday. Cerca de 81,77% dos entrevistados afirmam que os preços mais baixos são o maior motivador das compras nesse dia repleto de promoções.

Os outros dois principais motivadores são o 13º e a necessidade de comprar um determinado produto

Com relação aos descontos procurados por quem vai comprar, a faixa mínima de 30% de desconto continua sendo a mais atrativa para a maioria (22,79%).

E a preferência maior varia entre 20% e 50% de abatimento nos preços.

Ao falarem sobre frete, 40,17% já consideram que esperar até 1 semana é um prazo aceitável, enquanto somente 17,09% admitem esperar mais do que isso.

Comércio eletrônico

A Black Friday alavanca  o comércio eletrônico e 72% pretendem comprar online. 

Em 2021, 56,98% dos consumidores pretendem comprar em sites e lojas virtuais, enquanto 14,81% pretendem comprar através dos aplicativos. Em totalidade, cerca de 72% dos consumidores esperam participar da Black Friday por meio de canais digitais. 

As lojas físicas aparecem com 27,35% da preferência, cerca de 6% a mais do que no ano passado, já que no ano passado, muitas lojas estavam fechadas.

Quando foram perguntados sobre a descoberta das melhores ofertas, o acesso aos sites das marcas favoritas foi a resposta de mais de 65% dos entrevistados. 

Em segundo lugar vem a pesquisa no Google, mostrando a força que o buscador tem para o comércio eletrônico.

Fonte: Conversion

Postagens relacionadas

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *